segunda-feira, 15 de março de 2010

Filosofar diverte

Uma das coisas que me apareceram com o tempo foi uma forte vontade de me divertir o máximo tempo possível. Não sei a origem desta vontade nem possuo qualquer explicação técnica para ela. Há quem diga que vem com a idade. Talvez tenha a ver com o local onde vivo que tem 300 dias de sol por ano e um clima ameno. Claro que esta vontade de diversão acarreta alguns sacrifícios intelectuais. Bem, continuo a não gostar dos filmes do Van Damme, mas é verdade que onde antes via uma espécie mística de maior penetração do espírito, agora consigo largar umas folgadas gargalhadas. O benefício mais evidente é a maior abertura social que a diversão traz. O que é que isto tem a ver com a filosofia?  É que esta vontade de me divertir alastra-se à filosofia. É verdade que o estudo pode ser tão divertido quanto outra coisa qualquer. Estudar tem tanto de árduo, como de divertido. Se não esquecêssemos como uma criança aprende a brincar, daríamos maior importância aos aspectos lúdicos do trabalho e do estudo. É por esta razão que muitas vezes dou comigo a procurar sites de chalaças relacionadas com a filosofia. Nestas minhas procuras encontrei o Philosophy On Line. Não é bem um site de humor, mas a verdade é que tem secções muito divertidas como o projecto de escrever uma história da filosofia no Twitter. Vale mesmo a pena passar uns bons momentos com este site que divulga a filosofia de uma forma descomplexada e divertida. Eu vou lá basculhar ainda mais. Visitem a loja de vendas do site. Vai uma cervejinha na caneca do Russell?


4 comentários:

Eduardo F. disse...

Amigo Rolando, não quero que penses que é só isto que me move.

Mas devias ter escrito assim, concordando em número:

"Uma das coisas que me apareceram com o tempo [só depois o singular, relativo ao sujeito "uma"] foi..."

Este é um erro dos mais frequentes, dito por sei lá 90% das pessoas que falam Português (e também já o li em Inglês..) e nem sempre consigo explicá-lo.
Mas penso que assim o percebes.
Abraço

Eduardo F. disse...

Olha, acabei agora mesmo de tropeçar num destes erros (viste quantos minutos se passaram desde que escrevi aquilo?... é incrível.)

Na primeira frase deste artigo:

http://guedelhudos.blogspot.com/2010/03/paulo-alexandre.html

"Paulo Alexandre foi sem dúvida um dos artistas portugueses que mais discos vendeu..." (os artistas é que venderam, e ele foi um deles)

Se analisarmos bem as orações depois parecerá bem mais fácil de perceber.
:)

Rolando Almeida disse...

Eduardo,
Já é a segunda que me apanhas. à terceira pago-te um jantar.
Uma das razões mais pessoais que mantenho o blog é precisamente para que apareçam pessoas a fazer o que tu estás a fazer, a corrigir-me.
Obrigado e abraço

Eduardo F. disse...

Fantástico, amigo.
Nem esperava outra coisa de uma pessoa que filo...sofa.

Abraço.