segunda-feira, 23 de julho de 2018

Até Setembro com BD

As férias começam aqui no FES. Regressamos em Setembro certamente com muito trabalho em cima do joelho para que o ano vá avançando com poucos atropelos a bem da filosofia, do seu ensino e sobretudo do gosto em aprender.Mas as férias são também um tempo ideal para algumas leituras. Deixo a recomendação desta BD publicada há semanas na Gradiva, Hereges. E deixo também uma foto de sol e mar que são os motivos das férias do verão para quem ensina e quem estuda.




quarta-feira, 18 de julho de 2018

Materiais úteis à operacionalização da flexibilidade curricular e Aprendizagens Essenciais em Filosofia

Aqui estão disponíveis os materiais que são o resultado do recente encontro de professores de filosofia em Aveiro. São materiais a ter em atenção. De um modo pessoal chamo a atenção para a apresentação do professor João Pires. Mesmo sem ter assistido presencialmente às apresentações, a do professor João é de uma sensatez pedagógica invulgar, o que me parece muito bem. Para a leccionação da Lógica proposicional o documento produzido por Aires Almeida é muito bom, tal como recentemente recomendei a colegas na minha ação de formação que dei sobre o ensino da lógica proposicional na Escola Secundária Francisco Franco.
Todos os materiais podem ser vistos AQUI



segunda-feira, 16 de julho de 2018

Aprendizagens Essenciais em Filosofia

Como se lê na página oficial:

As Aprendizagens Essenciais (AE) são documentos de orientação curricular base na planificação, realização e avaliação do ensino e da aprendizagem, e visam promover o desenvolvimento das áreas de competências inscritas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.
Neste sentido, foram concebidos documentos orientadores para todos os níveis de educação e ensino: educação pré-escolar e ensino básico e secundário.
A componente do referencial curricular designada por Aprendizagens Essenciais expressa a tríade de elementos — conhecimentos, capacidades e atitudes — ao longo da progressão curricular, explicitando:
(a) o que os alunos devem saber (os conteúdos de conhecimento disciplinar estruturado, indispensáveis, articulados concetualmente, relevantes e significativos);
(b) os processos cognitivos que devem ativar para adquirir esse conhecimento (operações/ações necessárias para aprender);
(c) o saber fazer a ele associado (mostrar que aprendeu), numa dada disciplina — na sua especificidade e na articulação horizontal entre os conhecimentos de várias disciplinas —, num dado ano de escolaridade.”