segunda-feira, 28 de junho de 2010

Reforma curricular e ensino da filosofia

Publiquei aqui uma proposta de discussão em torno da eventual reforma curricular que se avizinha.

2 comentários:

cristina simões disse...

Penso que, se a disciplina de filosofia for colocada somente nos últimos dois anos do “ensino secundário superior”, corre o risco de ficar refém da competição pelas notas para o ensino superior, um pouco à semelhança do que parece estar a acontecer com a Área de Projecto. Para os alunos que entretanto abandonarão o sistema (acontecerá sempre), nem chegariam a saber o que é a filosofia. Mas também acho que deveria fazer parte dos CCH e dos C P. Logo, deveria começar a ser leccionada antes do 11º ano, e nunca como opção. Seria como uma “propedêutica” e nos CCH e CP, as “questões” que a ligam a filosofia à ética, à ciência…
Mais uma reforma…

gabinete-project disse...

Boa tarde.

Penso que deveria ser constituído um Grupo de Trabalho que analisasse estes documentos e
contra-propusesse algo para a Filosofia...
O ideal seria criar uma "Federação", com 1 representante de cada instituição.
Se isso não for possível, que avance quem quiser e puder!
Julgo que esta Proposta vai diminuir para menos de metade o número de professores de Filosofia nas escolas. (noutra oportunidade, poderei apresentar os meus dados estatísticos)
Concordo com a ideia do Rolando Almeida, relativamente ao «Pensamento Crítico», mas também sei que existem outras Propostas como a «Ética» (à semelhança do que se passa em Espanha).

Aguardemos mais contributos.