sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Vamos discutir para aprender


Um leitor fez a seguinte afirmação nas caixas de comentários do FES:



 pode ser muito mais filósofo um pastor iletrado que todos os domingos se ajoelhe perante um Deus, que muitos doutores.”


Parece claro que para pensar basta, de facto, uma cabeça a raciocinar. Mas será a afirmação do leitor verdadeira? Será que a rezar perante deus temos a possibilidade de filosofar mais que alguém que dedica grande parte da sua vida a aprender e discutir os argumentos dos filósofos? E se pensarmos no futebol, será que se pode ser mais futebolista rezando a deus do que ser jogador profissional da selecção nacional? Que pensa o leitor disto?

7 comentários:

Azoth disse...

Caríssimo

Deveria ter colocado todas as mensagens que entre nós escrevemos para não descontextualizar o sentido irónico que essa parte do parágrafo encerra. Provavelmente não o entendeu.
Ser filósofo é intrínseco ao Homem, todo o homem procura a sabedoria. Mas existe uma grande diferença entre o sábio e o intelectual, o intelectual é como um disco de dados, pode ter na sua mente muito conhecimento, mas na prática não o sabe aplicar e nada lhe vale. O sábio é aquele que pode somente saber uma coisa mas aplica-a sempre da forma mais justa.
O raciocínio pertence ao campo do intelectual, um sábio faz uso do intelectual, mas um intelectual não faz uso da sabedoria.
Filósofo, meu caro é aquele que procura ser sábio, aquele que procura ser Justo, aquele que procura a acção certa para toda e qualquer situação, não o Doutor que sai de uma universidade a falar de história da filosofia, perdido no infinito do pensamento a armazenar conceitos. Daí que um humilde agricultor possa ser mais filósofo (Amante da Sabedoria) que um licenciado com um ego de tamanho do sol.

Azoth disse...

Assim é que para ser bom futebolista, não basta saber, mas aplicar aquilo que se sabe, acertadamente. Caso contrário dá um bom teorético do futebol.Com o filósofo acontece precisamente o mesmo, conhecer sem transmutar o ser, é ser um intelectual de assuntos relativos ao pensamento e não um Filosofo, um amante da sabedoria, aquele que procura unir-se a ela.

Bruno Coelho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno Coelho disse...

Azoth
Como o leigo irá saber que se tornou sábio?
E como irá unir-se a sabedoria?
Se um intelectual não faz uso da sabedoria como então se tornou intelectual?
Essa distinção que você faz não me pareçe muito clara, acredito sim que argumentando pode-se obter algum esclarecimento, mas daí não se segue que possamos estabelecer exatamente o que é um sábio.

aaugusto disse...

Eu acho que o Azoth nem consegue lá muito bem definir o que é "um bom futebolista", quanto mais conseguirá sequer definir o que é isso de um "sábio".


O que ele quer dizer é perigoso, porque lança uma suspeição que a experiência de vida mostra ser implausível. Essa suspeição, no limite, potencia um regresso à idade das trevas, aos pais de santo e outros sortidos esotéricos.

Para ver o quão implausível é o que o Azoth declara, basta fazer um exercício estatístico. Por exemplo, qual é a probabilidade de entre dois sujeitos a falarem de um assunto de uma determinada especialidade X, aquele que mais fielmente representa o "state of the art" dessa especialidade ser aquele que menos provas dadas tem perante a comunidade geradora do corpo de conhecimentos dessa especialidade?

Por isso, apesar de as certificações não serem infalíveis, atestam sempre alguma coisa, nem que seja que a pessoa nos instantes X_i da realização das várias provas ao longo do seu percurso académico, demonstrou saber o que lhe era exigido numa dada escala. E isso é sempre melhor do que nada.

Mas acho que os filósofos estão na rua da amargura. Já há muito tempo quando fui estudante do secundário tinha reparado que bastava um palavreado mais cerrado para aldrabar muita gente não dizendo absolutamente nada.

Rolando Almeida disse...

Pois, mas eu não sei nem tenho interesse em definir o que é um sábio, se é que tal coisa se define. O que me interessa é a filosofia e precisar o que é um filósofo, principalmente para as pessoas que não estão muito familiarizadas com o que é a filosofia.
Há mais filosofia na segunda metade do sec xx até hoje do que na história toda da humanidade, o eu de si diz muito do seu estado. Provavelmente teve um mau ensino da filosofia no secundário o que lhe produz uma ideia errada do que se passa no mundo.
Obrigado

Vitor Raposo disse...

é que realmente, os discursos do ronaldo ás vezes têm parecenças com Zaratusta de Nietzsch... às vezes temos de voltar atrás para assimilar! hehe