domingo, 15 de agosto de 2010

Para aprender: Filosofia da Mente

Ocasionalmente ocorre divulgar aqui no blog obras de referência, traduzidas em língua portuguesa que constituam, preferencialmente, um guia de entrada na filosofia. Estas obras dividem-se em áreas temáticas, ou áreas problema. Claro que temos ainda as introduções gerais. É bom fazer o ponto da situação. Faço-o de acordo com os livros que eu próprio tenho e li, e assim é natural que deixe de fora outros livros importantes, mas que eu não li por alguma razão. Desta vez vou aqui destacar três livros acessíveis e que dão umas boas luzes sobre a filosofia da mente. O critério é simplesmente a resposta a uma pergunta completamente pessoal: “O que é que me recomendas ler para em pouco tempo perceber já com algum afinco mas sem linguagem ou pressupostos técnicos e em língua portuguesa sem acordo ortográfico de 2010, a filosofia da mente?”
Seguem as recomendações:


Deniel Dennett, Tipos de mentes, Temas de Debates



John Heil, Filosofia da mente, Piaget



Paul T Sagal, Mente, homem, máquina, Gradiva



1 comentário:

O Jornal Tresler e a Espiral do Silêncio disse...

Rolando Almeida, me desculpe, mas o senhor não aprova a reforma ortográfica?

Como sou brasileiro, fico feliz em pensar que posso ter acesso a títulos só encontrados em Portugal. Autores como Pierre Bayle e Oswald Spengler. Admito que não tenho conhecimento do mundo editorial português, mas posso até sonhar com "Ensaio Sobre os Costumes e o Espírito das Nações e sobre os Principais Fatos da História, de Carlos Magno a Luís XIII", de Voltaire.

Abraços,
Aldrin Iglésias,
Brasil