domingo, 4 de março de 2012

Como conhecer a consciência?


Um dos grandes enigmas dos nossos dias é o problema da consciência. Neste problema queremos dar respostas a questões como: “como é possível que se dê no meu cérebro a consciência subjectiva do vermelho?”. Como em qualquer problema há várias hipóteses a testar. Daqui se segue o tradicional problema mente – corpo. Deve haver alguma coisa material que produziu a consciência imaterial de vermelho em mim. Como é que se articula esse lado material com o lado imaterial da consciência? Aqui em resumo este não é o único problema da consciência, mas é certamente central. Parece que os dispositivos filosóficos ou científicos de que dispomos são insuficientes para resolver este enigma. E há até quem defenda que isto é mesmo assim, um problema sem qualquer possibilidade de ser explicado teoricamente.
Mas a questão que me move aqui no blogue de divulgação da filosofia é este: como estimular o leitor menos informado neste tipo de problemas? Bem, para isso é necessário um guia de leitura. Felizmente já dispomos de alguma bibliografia de qualidade em língua portuguesa. Para o leitor mais avançado recomendaria provavelmente Descartes. Mas uma leitura destas levaria muito tempo. A melhor maneira é começar pela introdução à filosofia de Nigel Warburton, Elementos básicos de filosofia (Gradiva). Nela dispomos de um capítulo de cerca de 30 páginas dedicado aos problemas da mente. Seguidamente a minha recomendação vai para a leitura da recente publicação também pela Gradiva do livro de Colin McGinn, O carácter da mente. É certo que na minha opinião tem algum grau de sofisticação, mas requere mais atenção na leitura da parte do leitor do que propriamente conhecimentos técnicos ou específicos. Finalmente recomendo o livro que estou a ler neste momento, de Nicholas Humphrey, A poeira da alma (Gradiva). Independentemente do que nele é defendido, tem a vantagem de poder ser lido pelo leitor comum sem grandes problemas de compreensão dos problemas. Portanto, se não temos o problema da consciência resolvido e é certo que temos o problema em aberto, nada melhor do que conhecê-lo mais um pouco, com este pequeno guia de leitura. 

1 comentário:

ABFA disse...

Caro Professor,

Descobri por acaso que um conterrâneo meu é assistente editorial de um dos meus sítios favoritos na Internet. Estou a falar do Crítica. Eu não tenho nenhuma ideia preconcebida sobre este assunto que vou mencionar, mas gostava de poder colaborar para este sítio. O meu objectivo é aprender mais sobre Filosofia, um tema que me interessa muito, mas que preciso de adquirir mais bagagem, mais conhecimentos e profundidade. Talvez, se tiver disponibilidade, poderíamos trocar impressões sobre este assunto. Eu escrevo frequentemente, e recentemente, criei um blogue para expor um pouco o que faço. Como já disse falta-me cristalizar o meu conhecimento sobre diversas áreas, mas, especialmente, a filosofia, que é a principal. Obrigado desde já pela sua resposta. Deixo em baixo o meu contacto e o link do blogue que falei.

Cumprimentos,
Bruno Afonso

Urbeinfame.blogspot.com
brunoferreiraafonso@gmail.com